• Roger Sampaio

Cloud: Onde elas vivem? O que comem? Quem são?

Atualizado: 18 de Set de 2020


Certamente você já ouviu falar das principais famosas empresas de Cloud no mercado, isto é: Microsoft Azure, AWS e Google Cloud?Ainda não, meu guerreiro? Acredito que mesmo que não, certamente usa algum serviço disponibilizado por elas. Você usa, por exemplo, o Google Driver para armazenar seus arquivos, costuma editar alguma planilha no Microsoft Office Excel na versão online, reproduz suas músicas no Spotify ou assiste suas séries na Netflix? Então, você usa os serviços fornecidos pelas clouds.


Nesse post exploraremos o que são clouds, os principais benefícios, as principais plataformas no mercado, classificação, isso mantendo o nosso lema: usar sempre uma linguagem leve, descontraída, divertida porém com qualidade no conteúdo. Vamos embarcar juntos nessa viagem, guerreiro? Apertem os cintos!


  1. O que são?

Cloud Computing, ou computação na nuvem em português, é o nome dado ao conjunto de tecnologias que permite o uso remoto de recursos de computação por meio da conectividade da Internet. Em outras palavras, as clouds estão hospedadas em data centers, que é um ambiente que abriga computadores-servidores, dispositivos de armazenamento e rede, para fornecer recursos aos usuários. Se pegamos, por exemplo, o data center da grande instituição financeira banco Santander, veremos uma sala com muitos computadores potentes interconectados, com muitas luzes piscando, cabos entrelaçados, além de um 'pequeno frio' causado pelo sistema de refrigeração. Veja:

Os recursos fornecidos (na forma de serviços) pela Cloud são disponibilizados por meio da internet, ou seja, necessitando apenas do navegador seja do computador ou um dispositivo móvel para acessar. Segundo o canaltech, é uma alternativa muito mais econômica no mundo corporativo, já que elas não precisam se preocupar em custos de aquisição de hardware, manutenção e atualização. Um escritório de advogacia,por exemplo, ao solicitar que cada funcionário use o Microsoft Office 2010 na versão online, contará com o benefício de ter menor custo de licença, não ter se preocupar em adquirir computadores potentes já que não há instalação.


Outros benefícios são:

1. Alta Disponibilidade. Disponibilidade é a capacidade do sistema responder ao usuário quando solicitado. É esperado que tenha alta disponibilidade. Você, por exemplo, ao usar o provedor Google para pesquisar algo na internet, não gostaria que ele demorasse quatro minutos ou mais para processar, certo? Google responde em questão de segundos, tendo uma altíssima disponibilidade.


b. Escalabilidade. Habilidade do sistema crescer conforme o número de usuários ou trabalho. A rede social Facebook possui alta escalabilidade: em torno de quinze anos cresceu de forma exponencial e hoje possui 2,3 bilhões de usuários diários. Imagina a infraestrutura grande de computadores, servidores, ativos de redes no data centers para manter tudo isso em funcionamento.


c. Elasticidade. Capacidade de sistema crescer ou diminuir automaticamente conforme a demanda, afinal recursos não utilizados (ex: servidores, discos de armazenamentos ...) geram ônus.


2. Como está o crescimento ou não delas?

Segundo estudos do IDC Semmiannual Services Tracker, os serviços relacionados à melhoria de performance da nuvem, gerenciamento de cargas de trabalho em ambientes híbridos e controle de custos impulsionaram o mercado de serviços de TI em 2019, que cresceu 6,4% em relação ao ano anterior e faturou mais de R$ 40 bilhões. E a tendência é continuar crescendo, mesmo em picos de pandemia do Covid-19. Então se você se interessar pela área, por que não começar a investir? Fica aí a dica, meu guerreiro. As principais plataformas de nuvem do mercado são: Microsoft Azure, AWS e Google Cloud.


3. Qual é sua classificação?

Existem 3 tipos de computação em nuvem, veja:



Conforme definição do Tulio Magalhães, na nuvem pública, tudo está disponível na web e compartilhado entre vários usuários que o usam simultaneamente (mas separadamente), o que mantém os recursos padronizados. Exemplo: uma empresa pode guardar um backup de seus arquivos na nuvem. A responsabilidade de manter arquivos salvos com respectivas replicações em servidores e evitar a perda daqueles ,por exemplo, com um possível incêndio no local do datacenter,é toda do provedor de Cloud. A empresa também não precisará se preocupar em adquirir servidores físicos de armazenamento para guardar os backups, já que tudo estará na nuvem gerando consequentemente redução de custo: energia elétrica necessária para manter um servidor, técnico responsável pela manutenção.


Já a nuvem privada, os serviços são personalizados para empresa conforme sua realidade de negócio e necessidades. Instituições financeiras e governamentais em geral optam pela nuvem privada, por terem que seguir certos padrões, regulamentos e regras sobre segurança e privacidade dos dados.


Por fim a nuvem híbrida é uma combinação das duas anteriores. Alguns recursos são utilizados de forma privada, enquanto outros de forma pública.


4. E no final das contas.


Incontestável falar dos benefícios oferecidos pelos provedores de Cloud principalmente para empresas: elasticidade, alta disponibilidade, escalabilidade gerando consequentemente redução de custos significativos. Uma empresa ao contratar um provedor de Cloud poderá inclusive personalizar os serviços segundo as necessidades por meio da nuvem privada ou combinar recursos públicos e privados (exclusivos para ela) usando a nuvem híbrida. O mercado de Cloud Computing continua aquecido e a tendência é continuar crescendo em 2021 mesmo com picos de pandemia do Covid-19, ficando com uma opção para você, meu guerreiro, investir sua carreira.


Abraços e até a próxima, meu guerreiro.



92 visualizações0 comentário

Adoraria ouvir de você

  • Ícone do Instagram Preto

© 2023 por Laura Castro. Orgulhosamente criado com Wix.com